LEI ROUANET E O COPO CHEIO

lei-rouanet-e-o-copo-cheio

Falar sobre a Lei Rouanet sempre é um desafio. Há muito pré conceito em relação ao tema, todos são cheio de opiniões, mas poucos conhecem como funciona a lei de incentivo a cultura.

Basta uma busca rápida no Google e você irá encontrar um discurso de ódio. Como em tudo no Brasil a síndrome do “primo pobre” ronda a mente daqueles que vivem por aqui. Falar mal da Lei Rouanet está para as mídias, assim como a violência: é o que vende e o que dá mais cliques. Claro que se levanta uma suspeita muito grande quando essa verba é destinada a grandes artistas no país e de fato, é preciso investigar e ser transparente para que a distribuição do budget seja feita de forma justa e correta.

Entretanto, ao olhar um copo de água pela metade você pode perceber ele como quase cheio ou quase vazio. Vai muito da maneira de olhar as coisas. Ter um olhar positivo e perceber as coisas boas que a Lei Rouanet trás para a nação é um bom caminho – mesmo com todo descrédito que o Governo Federal sofre nos últimos meses. Poderíamos nos deter as cifras gigantescas destinadas a projetos culturais no último ano e lembrar que investir em cultura está diretamente relacionado à investir em educação, mas optamos em trazer a reflexão para o nosso quintal.

Em 2015 realizamos diversos projetos culturais no Paraná. Entre os que mais exigiram da nossa equipe ao longo do ano foram o Parque Histórico de Carambeí, o Projeto Expressões Curitibanas e em dezembro a Casa do Papai Noel na cidade de São José dos Pinhais. É sobre esse último que vamos nos deter.

O projeto Casa do Papai Noel de São José dos Pinhais é um bom exemplo do poder que a cultura tem. Durante todo o mês de dezembro diversas famílias circularam pelo parque. A maioria com perfil humilde pode sorrir nos teatros apresentados, chorar nos espetáculos e se emocionar com a presença do Papai Noel e toda a estrutura de iluminação oferecida no local.

 

O poder transformador que a cultura proporciona em cada olhar, sorriso, gesto e atitude coletiva jamais poderá ser mensurado em cifras. Claro que quanto maior o investimento através da Lei Rouanet, mais projetos incentivados podem ser realizados. Entretanto, a experiência oferecida para comunidade e o poder transformador que o acesso a cultura gera não deve ser visto apenas em números.

Então, para 2016 desejamos que todos estejam abertos e percebam o lado cheio do copo.

Categorias: Mundo Mind

Tags

Escreva seu comentário